5 razões para ver a… Race of China-Wuhan

No WTCR Oscaro, não há tempo para dormir à sombra da bananeira. Depois de mais de dois meses de inatividade, os pilotos seguem para a segunda corrida seguida no espaço de uma semana. Ainda na China, tomarão de assalto a Wuhan International Street Track (2.984 km), localizada em Wuhan, uma cidade com mais de dez milhões de habitantes na província de Hubei. Aqui estão cinco razões para não perder a Corrida da China (Wuhan), oitava ronda da Taça do Mundo de Carros de Turismo.

Rob Huff, só

Dos 25 pilotos presentes na grelha de partida da oitava ronda do campeonato WTCR Oscaro, apenas um já conduziu na Wuhan International Street Track e os seus 2.984 quilómetros. Rob Huff (nono na classificação geral, com 80 pontos de diferença do líder). O britânico guarda aliás boas recordações desta corrida. No ano passado, arrancou em oitavo e conseguiu, fazer uma fantástica remontada para terminar no segundo lugar do pódio. Isto na segunda manga chinesa: “Há potencial de ultrapassagem aqui. Mas, como todas as corridas citadinas, é muito difícil “, disse o campeão de 2012: “Como em qualquer circuito urbano, não há como fugir. O percurso é muito rápido e bastante curto. Há muitas mudanças no revestimento, algumas são novas e outras são muito mais antigas e mais abrasivas”. Para registo, a última vez que Rob Huff e o WTCR Oscaro arrancaram em circuitos urbanos, foi em Vila Real, durante a Race of Portugal … E foi espectacular.

Hyundai na liderança, mais que nunca

Ao volante do Hyundai i30 N TCR, eles dominam o WTCR Oscaro. Nas primeiras quatro posições do campeonato, quatro pilotos da marca coreana. Da BRC Racing, Gabriele Tarquini (241 pts) e Norbert Michelisz (195 pts), ocupam respectivamente o primeiro e o quarto lugares do campeonato. À frente, está a equipa Yvan Muller Racing soma e segue. Yvan Muller (233 pts) e seu companheiro de equipa Thed Björk (232 pts) completam o pódio. Os dois últimos também estão em grande forma, já que conseguiram um hat-trick em Ningbo, vencendo as três corridas do fim de semana (Björk corridas 1 e 3, Muller corrida 2). Se os quatro pilotos continuarem neste ritmo, as últimas três rondas do WTCR Oscaro prometem cortar a respiração. Começando com a corrida da China-Wuhan. Por isso, não perca este sábado, às 9h, a Corrida 1, em https://wtcr.oscaro.pt/

Chine, terra belge

35 pontos para Denis Dupont, 41 para Frédéric Vervisch. A China parece ser a terra prometida dos pilotos belgas no campeonato. Os dois somaram 76 pontos na Race of China – Ningbo, assinalando o melhor registo da época para a sua equipa e o segundo melhor do fim de semana, atrás da equipa francesa Yvan Muller Racing com os seus 101 pontos. Graças a este desempenho, a Audi Sport Team Comtoyou, ganha um novo lugar no campeonato de construtores. Com os seus 187 pontos, seguram a sétima posição, a uma curta distância da Team Oscaro by Campos Racing. Cuidado John Filippi e Pepe Oriola! A Audi Sport Team Comtoyou está no vosso alcance.

A vingança chinesa

Norbert Michelisz, Yann Ehrlacher, Jean-Karl Vernay, Pepe Oriola e Aurélien Comte têm algo em comum. Candidatos ao título, falharam o primeiro dos dois encontros chineses. A eux cinq, ils Os cinco marcaram apenas 32 pontos nas três últimas corridas (17 pontos apenas para Norbert Michelisz), três pontos a menos que Denis Dupont, 15.º na geral, que pontuou 35 pontos no Ningbo International Speedway. Um fim de semana definido por Jean-Karl Vernay como « terrível, mesmo nada bom ». Para esta nova etapa na China, há muito em jogo para estes pilotos. Num campeonato bastante disputado, não há direito ao erro. Senão, podem dizer adeus adeus a qualquer esperança de conquistar o título. Conclusão: vão todos partir para o ataque. E não se esqueçam que no WTCR Oscaro, nada é impossível.

A Détroit asiática

Cerca de 12 milhões. É o número de carros vendidos em Wuhan durante o primeiro semestre de 2018 (de acordo com o calendário chinês), o que o torna no líder de mercado de vendas automóvel do mundo. A Race of China – Wuhan assinala também a Golden Week na China. Um marco para esta cidade, onde o automóvel é parte integrante da cultura: « Sentimos que as pessoas são apaixonadas pelos automóveis. Há mesmo quem escale o gradeamento do circuito para ver o que se passa. É de loucos!”, conta John Filippi, surpreendido por ver tanta dedicação.Uma particularidade que Rob Huff também destaca: « Wuhan é uma cidade única em relação às outras presentes no calendário WTCR. No ano passado, fomos calorosamente recebidos pelos habitantes. Sei que será o mesmo este ano». Ainda mais com a presença do herói local, Ma Quing Hua, o ambiente promete ser escaldante.

Descubra todas as informações WTCR Oscaro

Veja Também