5 razões para ver…a Race of Japan

Terceira etapa asiática para o WTCR Oscaro. De 26 a 28 de outubro, a Taça do Mundo de Carros de Turismos da FIA disputa-se na terra do sol nascente. Para o 2018 JVC Kenwood Race of Japan, os pilotos vão enfrentar o lendário circuito de Suzuka. Aqui estão cinco razões para não perder a penúltima ronda do campeonato.

Um regresso

A edição de 2018 da JVC Kenwood Race of Japan, será marcada por um momento: o regresso de Tiago Monteiro. Em Suzuka, o piloto de 41 anos volta a estar ao volante, 415 dias depois de quase perder a vida num acidente no circuito de Barcelona. “Eu não sei o que dizer de tanto que é bom voltar. Houve momentos em que tudo parecia sombrio, mas nunca perdi a esperança. Eu sabia que este dia chegaria “, diz o português. Substituído por Benjamin Lessennes desde o início do campeonato, depois por Ma Quinq Hua durante as duas últimas rondas chinesas, Tiago Monteiro vai começar a ronda japonesa ao volante de um Honda Civic TypeR TCR. Embora não define um objetivo para esta corrida, Tiago tem uma coisa em mente: “regressar em definitivo para a temporada 2019 do WTCR Oscaro.”

Uma luta

Matematicamente, e sabendo que é possível recolher um máximo de 174 pontos nas duas últimas rondas do campeonato, são cinco os pilotos na expectativa de reivindicar o título: de Gabriele Tarquini (241 pts) a Denis Dupont (69 pts) . Se Dupont, Berthon, Bennani, Shedden e Earl parecem estar muito longe do top-3 (Comte, décimo, com 95 pontos atrás de Muller, terceiro) no top 10, tudo é possível! Em quarto lugar, Pepe Oriola está a apenas 27 pontos de Yvan Muller, enquanto Vervisch, oitavo, está a apenas cinco pontos do espanhol. Em suma, as últimas seis corridas (três no Japão e três em Macau) do WTCR Oscaro, serão palco de lutas incríveis. Dica: quando estiver calmamente sentado à frente do computador, conectado a https://wtcr.oscaro.com  para a Corrida 1 (27/10 às 6h30 ), pense em pegar na calculadora!

Um mito

A nona ronda do WTCR Oscaro terá lugar no lendário circuito de Suzuka no Japão. Criado em 1962, tem uma peculiaridade: o layout forma um oito, não um loop. Com um comprimento de 5.807 km, o circuito tem sido, durante sua história, palco de eventos trágicos. Dois pilotos perderam a vida: Daijiro Kato em 2003 (Moto GP) e Jules Bianchi em 2014 (F1) *.

Além disso, o JVC Kenwood 2018 Race of Japan desenrola em paralelo com outro mito do automobilismo, o Super Formula, o campeonato japonês de monolugares. “Para um piloto rookie, é quase impossível obter resultados neste campeonato, é tão complicado”, disse Pierre-Louis Loubet, piloto do WRC 2. E como sempre precisamos de uma exceção para confirmar a regra, lembremos que em 2017, Pierre Gasgly (agora piloto de F1) conseguiu na sua primeira temporada em Super Fórmula, terminar como vice-campeão da categoria.

Um campeão

Campeão TCR Benelux 2018. É com este novo título que Jean-Karl Vernay participará da nona etapa da Taça do Mundo de Carros de Turismo. “Uma grande recompensa para a equipa WRT e para a equipa Lukoil Leorpard” de acordo com o número 91 do WTCR Oscaro. Ao terminar em sexto e sétimo lugar no último fim de semana em Barcelona, ​ não conseguiu vencer o TCR Europe. Insatisfeito, confidenciou: “É sempre dececionante perder um campeonato. Especialmente quando ainda somos capazes de vencer numa corrida do final. Mas, acho que podemos ter orgulho do nosso segundo lugar “. Vice-campeão da Europa, a 22 pontos do espanhol, Mikel Azcona (181 pontos), Jean-Karl Vernay (159 pontos) precisará de ter garra para posicionar-se nos lugares da frente em Suzuka. Deve marcar pontos, se quiser ganhar o título de campeão mundial em Macau, em novembro próximo.

Uma última esperança

Se a maioria dos pilotos já tem o seu lugar reservado para a próxima temporada, alguns ainda têm um futuro incerto (supomos). Para participar no WTCR 2019, é preciso mostrar qualidade na modalidade. Os pilotos posicionados atrás na classificação, têm apenas duas rondas para provar do que são capazes. Em Suzuka, estarão dispostos a destacar-se numa altura em que os lugares são cada vez mais caros. Entre eles, David Zsolt Szabo (4 pts), John Filippi (14 pts), Norbert Nagy (18 pts), Aurélien Panis (28 pts) ou Mato Homola que pontuou apenas num fim de semana (38 pts em Portugal) … Vamos lá, liguem os motores!

* Jules Bianchi sofreu um grave acidente durante o GP do Japão em F1, em outubro de 2014. A mais 250 km/h, atingiu um camião de reboque que retirava o carro de Adrian Sutil. O piloto francês viria a morrer devido à extensão dos ferimentos, a 17 de julho de 2015.

Descubra todas as informações WTCR Oscaro

Veja Também