Yann Ehrlacher : « Pressão? Está nos pneus ! »

Estrela em ascensão no mundial de Carros de Turismo, Yann Ehrlacher, 22 anos, vai integrar uma nova equipa em 2019. Décimo no WTCR Oscaro no ano passado aos comandos de um Honda Civic Type R TCR, este ano conduzirá um Lync & Co 03 TCR Cyan Correndo. O jovem junta-se a três campeões mundiais na disciplina, incluindo Yvan Muller, o seu tio.

Olá Yann, vais pilotar um Lynk & Co nas próximas duas temporadas do World Touring Car Championship. Como foi essa escolha?

Estudei as poucas propostas que me foram feitas para as próximas temporadas e a Lynk & Co parecia-me a mais completo. A minha primeira ideia foi ficar na Honda, mas as discussões foram longas e complicadas.Tomei a decisão em setembro. E embora o meu objetivo permanecesse fixo nos resultados e desempenhos da equipa All-Inkl para o final da temporada, Yvan Muller, o meu tio, também faz parte da equipa. Não foi um dos principais argumentos na minha decisão, mas ainda teve uma pequena influência.

Além de Yvan Muller, juntas-te a Andy Priaux e Thed Bjork, os três campeões mundiais de carros de turismo. O que é que isso te trará?

Eu não poderia sonhar com melhor equipa. O facto de estar com três campeões mundiais trará muita experiência. Eu estou apenas na minha terceira temporada nos Turismos (o meu quinto em desporto automóvel). Mesmo que as expectativas sejam cada vez mais altas para mim, ainda tenho muito para aprender. Estar com eles é uma grande oportunidade. Oito títulos de campeões mundiais …

Experimentaste o Lync & Co 03 TCR em dezembro. Conta-nos as tuas primeiras sensações.

Atualmente, sei muito pouco. Estamos em período de desenvolvimento. Há muito trabalho por fazer no carro e muitas coisas novas por descobrir. Ainda não podemos avaliar as vantagens em relação aos outros, mas é um bom carro com uma boa base.

Terminaste em décimo na geral no ano passado, ganhaste duas corridas e és um alvo a abater. Isso coloca-te alguma pressão especial?

Eu sempre digo que “a única pressão que tenho, está nos pneus! “. Sim, às vezes acho que vou ficar um pouco apreensivo, mas é uma boa pressão. Isso força-me a trabalhar. Não é uma pressão que me deixa nervoso ou stressado. Este ano deve ser ideal para mim, para dar um passo em frente.

Como lidas com o facto de seres considerado, talvez, a maior esperança da tua disciplina?

Significa que, até agora, fiz um bom trabalho. Por outro lado, falamos sobre um estado de “esperança”, o que prova que tenho muito que provar. Devo continuar a trabalhar no duro e progredir, para me tornar o melhor possível.

E quanto a resultados, que metas defines para 2019?

Não estabeleço nenhum objetivo. Eu trabalho, dou o máximo a cada dia para não me “castigar”. Uma coisa é certa: vou garantir que o resultado seja equivalente ao trabalho aplicado. Os meus objetivos continuam altos de qualquer maneira.

Descubra todas as informações WTCR Oscaro

Veja Também